Fique Conectado

Campinas

Rota das Bandeiras entrega novo dispositivo de acesso às marginais da rodovia D. Pedro I, em Campinas

Avatar

Publicado

em

Agulha localizada próximo ao viaduto dos Amarais garante ligação da via marginal à expressa, na pista sentido Anhanguera

A Concessionária Rota das Bandeiras, empresa responsável pela administração do Corredor Dom Pedro, libera nesta quarta-feira, dia 8 de agosto, a agulha definitiva que dá acesso da via marginal para a via expressa da rodovia D. Pedro I (SP-065), em Campinas. O novo acesso está localizado na altura do km 143, próximo ao viaduto dos Amarais, no sentido Anhanguera (SP-330), e substitui o provisório que ficava na altura do km 141, logo após a passarela da Ceasa.

As novas vias marginais, além de ampliar a capacidade da via em 66%, têm a função de segregar o tráfego local do tráfego de longa distância, o que proporcionará mais segurança para os usuários e minimizará o risco de acidentes.

“Para os motoristas, será uma mudança bastante simples. Como a primeira entrada, que era usada de forma provisória, estará fechada, naturalmente eles vão utilizar a o novo dispositivo que está localizado à frente”, analisa o coordenador de tráfego da Rota das Bandeiras, Murilo Perez.

A implantação das novas marginais da rodovia D. Pedro I, no trecho de Campinas, conta com investimento de R$ 170,3 milhões executados pela Rota das Bandeiras, conforme cronograma de investimentos fiscalizado pela Agência de Transportes de São Paulo (Artesp). Quando concluídas, as marginais terão um total de 36,2 km de vias, entre o km 129 (Trevo da Leroy Merlin) e o km 145 (entroncamento com Anhanguera).

Cerca de 85% das obras já foram concluídas. Neste momento, já estão disponíveis aos motoristas as pistas marginais no trecho entre os km 129 e 142+400 da pista Norte e nos trechos entre os km 129 e 131 e do km 132+800 ao km 142+400 da pista Sul (sentido Jacareí).

Os motoristas que desejarem mais informações poderão entrar em contato com a Rota das Bandeiras por meio do telefone 0800-770-8070. A ligação é gratuita e o Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) funciona 24 horas.

Continuar Lendo
PUBLICIDADE
Clique para comentar

Campinas

Aeroporto de Viracopos é o sétimo com maior número de passageiros em condições de exigir compensação por problemas em voos, segundo organização internacional

Avatar

Publicado

em

Estudo da AirHelp revela lista dos dez aeroportos com maior número de viajantes afetados e elegíveis à reparação de companhias aéreas.

Campinas, 3 de setembro de 2019 – O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), é o sétimo com maior número de viajantes em condições de exigir compensação por causa de interrupções de voos, como atrasos e cancelamentos. Ao comparar o primeiro semestre de 2019 com o mesmo período do ano passado, o aeroporto permaneceu na mesma posição e registrou uma diminuição de 25% de passageiros elegíveis – aqueles que podem reivindicar direitos. Os dados fazem parte de estudo divulgado hoje pela AirHelp, organização internacional especializada em direitos dos passageiros aéreos.

Os aeroportos de Cumbica (SP), Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) estão no topo da lista e juntos somam mais de 400 mil viajantes elegíveis à solicitação de compensação nos seis primeiros meses de 2019, um aumento de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior. Além desses, os aeroportos de Brasília, Salvador e Porto Alegre também tiveram alta no número de passageiros elegíveis à compensação por conta de transtornos.

Ao comparar o primeiro semestre de 2019 com o mesmo período do ano passado, o número de passageiros elegíveis a direitos, segundo a legislação brasileira, dobrou no país, passando de 500 mil para um milhão. Segundo expectativa da AirHelp, até o fim do ano cerca de dois milhões de viajantes podem ter direito à compensação.

“A tendência global de rápido crescimento do tráfego aéreo leva a infraestrutura da aviação ao limite, causando maiores interrupções de voos, o que também é observado no Brasil. Agora, mais consumidores brasileiros de classe média têm a possibilidade de voar no país e para destinos internacionais. Os aeroportos e companhias aéreas não estão totalmente preparados para atender o aumento de passageiros confortavelmente e dentro prazo. Dois a cada 10 voos que partem de aeroportos brasileiros são afetados por cancelamentos ou atrasos”, explica Christian Nielsen, diretor jurídico da AirHelp.

No primeiro semestre, o maior aumento de passageiros elegíveis a direitos foi observado em Salvador, com alta de quase 315%, seguido pelo Aeroporto Internacional Salgado Filho, com quase 30% de crescimento, e Congonhas, com 26%.

10 aeroportos com maior quantidade de passageiros elegíveis à compensação no primeiro semestre de 2019

PosiçãoAeroportoPassageiros elegíveis à compensaçãoEvolução
Aeroporto Internacional São Paulo–Guarulhos (SP)178,6 mil+ 22%
2 ºAeroporto de Congonhas – São Paulo (SP)119,2 mil+ 26%
3 ºAeroporto Santos Dumont – Rio de Janeiro (RJ)107,7 mil+ 15%
4 ºAeroporto Internacional de Brasília–Presidente Juscelino Kubitschek52,9 mil+ 15%
5 ºAeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães – Salvador (BA)34,4 mil+ 315%
6 ºAeroporto Internacional Salgado Filho – POA (RS)32,3 mil+ 28%
7 ºAeroporto Internacional Viracopos – Campinas (SP)31,6 mil– 25%
8 ºAeroporto Internacional Afonso Pena – Curitiba (PR)30,7 mil– 22%
9 ºAeroporto Internacional Rio-Galeão (RJ)30,1 mil– 33%
10 ºAeroporto Internacional Tancredo Neves – Confins (BH)29,8 mil– 36%

Passageiros brasileiros estão amparados por legislação

De acordo com resoluções da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), passageiros que sofreram atrasos de voo de mais de 4 horas, cancelamentos de última hora ou overbooking, têm direito à assistência material, incluindo refeições, bebidas, comunicação e acomodação, se necessário. A lei se aplica a todos os viajantes aéreos que chegam ou partem de aeroportos brasileiros.

O que a companhia aérea deve fornecer depende de quanto tempo o passageiro fica aguardando após o horário de partida original. Após uma hora, passageiros devem receber acesso à comunicação (por exemplo, ligação telefônica ou acesso a Wi-Fi para contato via e-mail). Quando passar de duas horas, devem receber refeições apropriadas para a hora do dia. E, ao exceder quatro horas, os viajantes devem ter a opção de remarcar o voo ou receber reembolso total. Além disso, se o passageiro tiver que pernoitar antes de pegar um voo, deverá receber acomodação em hotel.

Se a companhia aérea não prestar assistência adequada aos passageiros, as leis do Brasil permitem que os passageiros reivindiquem custos atrasados – chamados de danos materiais. No entanto, segundo o Código do Consumidor do Brasil, os passageiros também têm o direito de buscar uma compensação pelo que é conhecido como dano moral. Isso significa que os passageiros não precisam provar apenas que foram impactados por custos, já que as leis preveem que perda de tempo, oportunidades perdidas e maus tratos também são importantes e merecem ser recompensados.

Como solicitar compensação

Passageiros que desejarem reivindicar compensação por causa de interrupções de voos podem acessar o site da AirHelp e preencher um breve formulário. A organização fornece aos consumidores informações se seu caso é elegível para compensação, além de orientação sobre seus direitos, ajudando viajantes a enviar solicitação à companhia aérea responsável.

Se o passageiro tiver direito à compensação, por meio da AirHelp ele poderá encontrar a assistência jurídica correta para prosseguir com a reivindicação em seu nome. “A legislação brasileira está entre as mais fortes leis pró-cliente em escala global e pode ser um aprendizado para muitos países. Mas ela também pode ser difícil de entender, sendo complicado avaliar qual a compensação pode ser obtida para um único indivíduo sem o suporte jurídico”, avalia Nielsen.

Em julho, a AirHelp lançou um novo serviço no Brasil com uma rede de advogados brasileiros para atender passageiros de acordo com as leis locais. O trabalho jurídico é apoiado por um dos maiores bancos de dados de estatísticas de voo do mundo, inúmeros bots de inteligência artificial e especialistas em direitos dos passageiros aéreos. Essa nova tecnologia pioneira torna mais fácil, mais barato e muito mais acessível e eficaz para os passageiros reivindicarem a indenização devida.

Desde 2013, a AirHelp já ajudou mais de 13 milhões de passageiros em todo o mundo a entenderem sobre seus direitos e avaliarem suas reivindicações. “Nosso objetivo no Brasil, como em todos os países em que operamos, é lutar pelo direito dos passageiros à compensação e responsabilizar as companhias aéreas por graves interrupções nos voos. Lidamos com pedidos de compensação em nome dos passageiros, eliminando o estresse do processo e tornando-o mais fácil possível para o consumidor”, acrescenta Nielsen.

Continuar Lendo

Campinas

Casa Ronald McDonald Campinas participa do McDia Feliz 2019

Avatar

Publicado

em

Foto: Internet/Casa Ronald McDonald Campinas

Mobilização na Região Metropolitana de Campinas que beneficia a Casa Ronald McDonald já começou

Há 30 anos, o mês de agosto é marcado pelo McDia Feliz, que transforma a venda de Big Mac em sorrisos. Mas a campanha – uma das maiores em prol de crianças e adolescentes no país – já começou. A Casa Ronald McDonald Campinas é participante do McDia Feliz e já está trabalhando para fazer da arrecadação deste ano, que acontece no penúltimo sábado de agosto (24), mais um sucesso. Para dar a largada a essa grande corrente de solidariedade, a instituição realizará no próximo 30 de julho, às 8h30, o lançamento local da campanha na cidade de Campinas. O evento contará com a presença da sociedade, voluntários, parceiros, apoiadores, representantes McDonald’s.

Ao todo, 86 projetos de 56 instituições serão beneficiados com a arrecadação da campanha em todo o país. A Casa Ronald McDonald Campinas será beneficiada com a venda de tíquetes antecipados, produtos promocionais com a marca McDia Feliz e sanduíches Big Mac nos restaurantes de Campinas, Araras, Atibaia, Limeira, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Sumaré, Valinhos, Bragança Paulista, no dia 24 de agosto. Realizado há mais de 30 anos no país, o McDia Feliz já somou mais de R$ 280 milhões investidos em projetos do Instituto Ronald McDonald e mais recentemente do Instituto Ayrton Senna.

O projeto beneficiado com a arrecadação será para o custeio da casa. A casa de apoio tem capacidade para 112 pessoas e oferece hospedagem, alimentação e atendimento social gratuitos durante o tratamento dos pacientes nos hospitais da cidade de Campinas, principalmente o Centro Infantil Boldrini.

Recurso será aplicado em pesquisas

No Boldrini, a verba arrecadada com o McDia Feliz de 2019 será revertida para dois importantes projetos: o início da pesquisa de novas drogas no tratamento de recaídas de Leucemia Linfoide Aguda e no estudo do Coorte de Nascimentos.

Segundo o pesquisador do Centro, Dr. Andrés Yunes, “existem alguns casos em que a Leucemia Linfoide se torna resistente ao tratamento e é preciso achar novas drogas. A pesquisa que será implantada com essa verba fará a análise genética de 15 amostras do nosso biobanco, observando as mutações delas e em paralelo testando essas novas drogas quimioterápicas”, explica.

Para o presidente da Casa Ronald McDonald Campinas e franqueado McDonald’s Carlos Eduardo Murrer Gomes, o McDia Feliz é um marco na luta contra o câncer infanto-juvenil no Brasil. “Nestes 30 anos, o McDia Feliz possibilitou muitos avanços e pesquisas no combate ao câncer, além de melhorar a condição das famílias através das Casa Ronald McDonald e espaço da família. Para nós do McDonald’s, é muito gratificante ter participado desta história e mostra o quanto a marca se preocupa com a sua responsabilidade social e a comunidade que está inserida”, explica.

Do Brasil para Campinas

O presidente explica que, ao longo desta trajetória, o McDia trouxe o tema à tona e dialogou com a sociedade sobre a importância da prevenção e tratamento. Hoje, através das seis Casas Ronald McDonald espalhadas pelo Brasil, as famílias em tratamento do câncer que moram em cidades distantes dos hospitais, podem se hospedar e alimentar gratuitamente, além de ter todo suporte psicossocial necessário no tratamento da doença. Somente de Palmas, no Tocantins, vieram 10 crianças e familiares para tratamento em Campinas. De Parati, no Rio de Janeiro, vieram quatro pessoas.

“Situação muito diferente de quando começamos, em que muitas famílias abandonavam o tratamento por falta de condições financeiras em se manter na cidade do hospital, complicando a situação da saúde da criança”, revela o presidente. “Para nós, o McDia Feliz é muito importante, pois corresponde a quase 50% do custeio anual da Casa Ronald McDonald Campinas. Nesta época, temos fundadores, voluntários, funcionários do McDonald’s e da Casa Ronald engajados na campanha, mostrando a grande capacidade que temos de nos mobilizar diante de uma boa causa, envolvendo toda a sociedade”, disse. “Todas as pessoas que já trabalharam no McDonald’s guardam o dia em que trabalharam com muito carinho e sempre se recordam nos encontros e marcam presença nas lojas no dia”, finaliza ele.

Como adquirir os tíquetes antecipados

A Casa Ronald McDonald Campinas já está com os tíquetes antecipados disponíveis para a venda. Comercializados ao valor de R$ 17,00 cada um, o tíquete poderá ser trocado pelo sanduíche Big Mac na data do McDia Feliz, sábado, dia 24 de agosto.

Os moradores de Campinas, Araras, Atibaia, Limeira, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Sumaré, Valinhos, Bragança Paulista, interessados na compra de tíquetes antecipados, podem entrar em contato direto com a Silmara, pelo telefone (19) 3257.2082, por e-mail, recursos@casaronaldcampinas.org.br, ou visitando nossa instituição: Rua Nádia helena Battistone da Silva, 355, em Campinas.

A venda dos tíquetes antecipados representa uma importante parcela na arrecadação total da campanha McDia Feliz, composta ainda pela venda de sanduíches Big Mac no próprio dia, isoladamente ou na promoção (exceto alguns impostos), além de produtos promocionais com a marca McDia Feliz vendidos pelas instituições participantes.

Impacto social ampliado

Desde 2018, o McDia Feliz, que chega a sua 31ª edição, ampliou seu impacto social e passou a beneficiar duas causas de grande importância no Brasil: saúde e educação. Sendo assim, em mais uma edição, além do combate ao câncer infantojuvenil, que hoje é a maior causa de morte de crianças e adolescentes, através das instituições apoiadas pelo Instituto Ronald McDonald, a campanha também destinará recursos para o Instituto Ayrton Senna, organização não governamental que, há mais de 20 anos, trabalha para desenvolver o potencial das novas gerações por meio da educação integral, ampliando suas oportunidades de vida e tornando-as agentes de transformação.

Sobre o McDia Feliz

O McDia Feliz, atualmente, é uma das a maiores mobilizações pelas crianças e adolescentes no Brasil. Há 20 anos, o Instituto atua nas necessidades antes, durante e depois do tratamento de crianças e adolescentes com câncer e beneficia instituições ligadas a oncologia pediátrica através de campanhas como o McDia Feliz. A campanha é um sucesso graças à participação de instituições, funcionários, franqueados e fornecedores, além da mobilização de milhares de voluntários que incentivam a sociedade a abraçar a causa. O McDia Feliz desde 2018 ampliou seu impacto social e passou a beneficiar duas causas de grande importância no Brasil: saúde e educação. Este ano, o McDia Feliz acontece no dia 24 de agosto e todos os recursos arrecadados com a venda do Big Mac serão revertidos para as instituições participantes em todo o Brasil.

Mais informações em www.mcdiafeliz.org.br

Sobre o Instituto Ronald McDonald

Organização sem fins lucrativos, o Instituto Ronald McDonald (IRM) atua há 20 anos para aproximar famílias da cura do câncer infantojuvenil e aumentar as chances de cura da doença aos mesmos patamares dos países com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Para atingir esse objetivo, o Instituto Ronald McDonald trabalha promovendo a estruturação de hospitais especializados, a hospedagem para famílias que residem longe dos hospitais, a capacita profissionais de saúde para realizarem o diagnóstico precoce, incentiva a adesão a protocolos clínicos e promove disseminação de conhecimento sobre a causa. A ONG faz parte do sistema beneficente global Ronald McDonald House Charities (RMHC), presente em mais de 60 países, coordenando os programas globais: Casa Ronald McDonald, voltado para a hospedagem, transporte e alimentação dos pacientes; e o Programa Espaço da Família Ronald McDonald, que torna menos desgastante o dia a dia das famílias durante o tratamento. No Brasil, há ainda outros dois programas locais: Atenção Integral e Diagnóstico Precoce, com ações específicas de combate ao câncer infanto-juvenil. O Instituto conta com o apoio de diversas empresas e pessoas físicas para desenvolver e manter seus programas. Saiba mais sobre as fontes de arrecadação, os programas e as instituições beneficiadas em www.institutoronald.org.br.

Campinas:
Casa Ronald Campinas
Rua Nadia Helena Battistone da Silva, 355 – Bosque das Palmeiras – Campinas (SP)
Telefone: (19) 3257.2082
www.casaronaldcampinas.org.br

Continuar Lendo

Campinas

Rota das Bandeiras realiza, a partir desta quinta-feira (6), obras noturnas nas regiões de Campinas e Jundiaí

Avatar

Publicado

em

Intervenções serão nas rodovias D. Pedro I (SP-065), Prof. Zeferino Vaz (SP-332) e Eng. Constâncio Cintra (SP-360)

A Concessionária Rota das Bandeiras, empresa responsável pela administração do Corredor Dom Pedro de rodovias, realiza, a partir desta quinta-feira (6), obras noturnas nas regiões de Campinas e Jundiaí. A melhoria nas vias faz parte do programa de Concessões firmado com a Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo).

As interdições irão ocorrer no período das 22h às 5h, para minimizar os transtornos aos motoristas das rodovias D. Pedro I (SP-065), Prof. Zeferino Vaz (SP-332) e Eng. Constâncio Cintra (SP-360). A Concessionária, contudo, ressalta que é preciso redobrar a atenção ao passar por trechos em obras, para evitar acidentes. Os locais terão sinalização especial.

Nesta quinta-feira, serão três pontos em obras na SP-360, em Jundiaí, sempre com fechamento da faixa da direita. Equipes irão atuar próximo ao entroncamento com a Anhanguera, no km 63, nos dois sentidos da rodovia, e também no km 75, após a praça de pedágio, na pista sentido Anhanguera.

A programação da Concessionária prevê trabalhos em dois pontos da Prof. Zeferino Vaz na sexta-feira, na pista sentido Campinas. No km 124, em Paulínia, está prevista a interdição da faixa da direita. Já a melhoria no km 116, em Campinas, irá interditar a saída do Real Parque para a rodovia. Motoristas terão como opção pegar a pista sentido Paulínia e realizar o retorno no km 119, no acesso para Betel.

Por fim, no sábado, serão quatro pontos com interdições na D. Pedro I, em Campinas. Na pista sentido Jacareí, haverá o fechamento da alça de saída da pista marginal para a expressa, no km 136, mas o bloqueio não irá prejudicar os acessos locais. Ainda na pista sul, haverá interdição da faixa da direita no km 142, na região dos Amarais. Na pista norte, o bloqueio de faixa será no entroncamento com a Anhanguera.

O cronograma de obras poderá ser alterado em decorrência das condições climáticas. Os usuários que desejarem mais informações sobre as obras podem entrar em contato com a Rota das Bandeiras por meio do 0800-770-8070. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24h.

Continuar Lendo

+ Lidas da semana