Fique Conectado

Geral

Jundiaí vive a “Farra dos Computadores”

O Dia Jundiaí

Publicado

em

O Portal de Transparência (https://transparencia.jundiai.sp.gov.br/) indica na sessão de empenhos dois valores muito curiosos acerca da compra de 2 computadores que seriam para o Procon da cidade. O valor total das aquisições são exatos R$ 52.900,00 para a compra de 1 MONITOR DE 19.5″ LED, 1 NOTEBOOK INTERMEDIARIO (COM DESCRICAO) e 1 MICROCOMPUTADOR COM PROCESSADOR CORE I7 7700T OU SUPERIOR.

Entende-se valor empenhado como  o valor que o Estado reservou para efetuar um pagamento planejado. O empenho ocorre, por exemplo, após a assinatura de um contrato para prestação de serviço. Neste caso, quando o serviço for executado, o valor é liquidado e, quando o fornecedor de fato receber o valor, ele é considerado valor pago.

O jornalismo do O Dia Jundiaí  fez a busca dos mesmos itens em sites conhecidos como o Kabum e Saraiva mas também em lojas específicas de computadores como a Pichau Hardware, o item monitor mesmo tendo sido descontado da fatura total foi pesquisado.

O valor somado dos produtos pesquisados pela equipe foram R$ 5.664,7 cerca de 13% do valor empenhado pela Prefeitura de Jundiaí.

https://www.kabum.com.br/produto/94523/notebook-vaio-c14-intel-core-i5-6200u-8gb-1tb-windows-10-14-3340341-vjc141f11x-b0211l

https://www.kabum.com.br/produto/81021/monitor-acer-led-19-5-widescreen-vga-v206hql/?tag=monitor%2019.5

https://www.kabum.com.br/produto/96432/computador-movva-intel-core-i7-7700-4gb-hd-500gb-linux-mvnii7h1105004

 

 

Continuar Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Com Gin e Limoncello, Brunholi expande participação no ramo de bebidas

Fillipe Santos

Publicado

em

Foto: Divulgação

Tradicional produtora de vinhos de Jundiaí aposta na diversificação dos negócios para garantir espaço no mercado

Produzindo vinhos artesanalmente em Jundiaí há mais de um século, a fabricação de bebidas está no DNA da família Brunholi. A vitivinicultura tímida do passado abriu caminho para a criação de licores, cachaças e, até mesmo, a caipirinha pronta e engarrafada, que garantem diversidade nos negócios e fomentam a qualidade da produção regional. Para aumentar a participação no setor, a marca lança, neste mês, o Gin Decreto 89 e o Limoncello Brunholi.

Fórmula criada em 2018, o gin é aromático e foi elaborado com botânicos selecionados a dedo para garantir um resultado floral e marcante. “Tudo começou como um hobby porque eu estava em busca de um produto diferenciado e cheguei a testar 10 receitas em laboratório até encontrar a combinação ideal”, conta Paulo Brunholi, CEO do Villa Brunholi e químico responsável pela criação de bebidas. Com produção inicial de 1.000 garrafas, a expectativa é crescer 30% anualmente.

Curiosidade é que, inicialmente, a pequena produção teve como objetivo presentear amigos em um final de ano. Entretanto, por conta do sabor único, fez sucesso e logo pediram que o produto fosse levado a jantares entre amigos ou que fosse feita para presentear outros amigos. Com isso, a receita artesanal foi ganhando espaço, até conseguir o registro e, finalmente, ficar disponível a todo público.

Já o Limoncello foi criado em comemoração aos 30 anos do complexo turístico e gastronômico Villa Brunholi. Licor de limão siciliano tradicional da Itália, a bebida foi escolhida para celebrar as origens da família, que chegou a Jundiaí em 1889. “Valorizamos e temos orgulho das nossas origens, por isso, não podíamos deixar de homenageá-la”, explica o empresário.

Vale lembrar que a família Brunholi sempre se dedicou à vitivinicultura, no entanto, foi na década de 1950 que os vinhos produzidos artesanalmente ganharam fama na região. Até o momento, a produção era tímida e complemento da renda familiar, e em sua maior parte, proveniente da agricultura. Entretanto, quando o Plano Collor foi implementado, a atividade não era mais suficiente para o sustento da família, que optou por abrir a adega que originou o Villa Brunholi.

Marca tem cachaça premiada e caipirinha exportada

Prova da dedicação e qualidade empregada na produção é que a Cachaça Premium Envelhecida ganhou ouro na 16a edição brasileira do Concurso Mundial de Bruxelas, realizada no ano passado em Recife, Pernambuco. O destilado, envelhecido por 18 meses em barril de carvalho, passou por degustação às cegas de especialistas, que experimentaram 538 amostras.

Levando apenas cachaça, limão e açúcar, a Caipirinha Brunholi é a versão engarrafada do drink tradicional brasileiro. Criada em 2015, conta com processo exclusivo que não oxida o limão, eliminando o amargor da fruta e garantindo um produto 100% natural. Até hoje, mais de 20 mil garrafas foram produzidas e destas, 15% foram exportadas a países do Reino Unido e República Dominicana. Segundo Brunholi, este volume deve aumentar 30% anualmente até 2024.

Serviço:

Gin Decreto 89 (1.080 ml) – R$ 80
Limoncello (700 ml) – R$ 65
Cachaça Premium Envelhecida (750 ml) – R$ 49,50
Caipirinha Brunholi (750 ml) – R$ 35

Sobre o Villa Brunholi

Complexo turístico formado por adega, mini fazenda, brinquedoteca, restaurante e museu do vinho. A história do espaço começou em 1897, quando Antônio e Emma Brunholi chegaram da Itália e compraram uma propriedade no bairro de Caxambu em Jundiaí.

O lugar, que passou por muitas transformações desde então, também faz parte do desenvolvimento do turismo rural e do agronegócio. O espaço, além de ser uma opção para os turistas, faz a produção de vinhos de mesa, massas, licores, vinagre e caipirinha que leva o nome da família na marca.

www.brunholi.com.br
www.caipirinhabrunholi.com.br

Continuar Lendo

Mercado

DMCard bate recorde no 1º semestre de 2019 com R$ 1,1 bilhão movimentado nos cartões private label

Fillipe Santos

Publicado

em

Montante representa um aumento de 32,5%, mantendo com folga a média de crescimento do valor gasto nos cartões, e ainda um crescimento de 50% de propostas com consumidores buscando cada vez mais o crédito

No primeiro semestre de 2019, foi movimentado nos cartões private label administrados pela DMCard pouco mais de R$ 1,1 bilhão. Valor que representa um crescimento de 32,5% nos gastos dos consumidores comparados com o mesmo período do ano passado, quando foram movimentados quase R$ 698 milhões. Além disso, também foi verificado um aumento de 50% nas propostas recebidas, o que mostra o consumidor do supermercado buscando cada vez mais o crédito para encher seu carrinho.

É a primeira vez que a companhia ultrapassa a marca de R$ 1 bilhão em um semestre. Além disso, a variação mantém com folga sua média de crescimento, que é de 30% ao ano. O cartão de loja se mostra um fenômeno que merece atenção, já que estes resultados foram consolidados em um ano que se iniciou marcado pelo encolhimento da economia com PIB negativo.

Há apenas três anos, em 2016, a administradora de cartões de crédito celebrava ter ultrapassado pela primeira vez a marca do bilhão durante todo aquele ano, quando registrou uma movimentação de R$ 1,08 bilhão em 12 meses. Desde então, nunca mais fechou um ano abaixo dessa marca, pelo contrário, apenas manteve seu ritmo de crescimento contínuo, conforme tabela abaixo.

ANOVALOR MOVIMENTADO
2016R$ 1,08 bi
2017R$ 1,3 bi
2018R$ 1,8 bi
2019 (previsão ano)R$ 2,4 bi

Cenário econômico e novas parcerias impulsionam crescimento

Carlos Tamaki, Diretor Financeiro da DMCard, explica o que tem impulsionado os bons resultados. “O cartão de loja tem sido cada vez mais buscado pelo consumidor como uma alternativa, já que tem encontrado dificuldade em conseguir crédito na rede bancária. Simultaneamente a este fenômeno, também tivemos um ano de forte expansão fechando contratos ou comprando carteiras de novas redes por todo o Brasil, muitas de grande porte e com faturamentos que ultrapassam R$ 1 bilhão ao ano”.

No final de 2018, a DMCard adquiriu a carteira de crédito dos Supermercados BH, em Minas Gerais, o 7º maior varejista do país que, até então, fazia a gestão de seu private label internamente. Já, no início deste ano, a DMCard adquiriu 100% da carteira de cartões de loja da UnidaSul, empresa gaúcha que administra as redes Supper Rissul (varejista) e Macromix (atacado) que, juntas, foram a terceira maior rede supermercadista do Rio Grande do Sul. E, além disso, também deu início a sua entrada no Nordeste, fechando contrato com quatro redes, na Bahia: RedeMix Supermercados, Supermercados Hiperideal, Supermercados Meira e Supermercados C&S.

Papel do Private Label na economia e no poder de compra

Como uma das líderes em seu segmento, os resultados da DMCard são um recorte desse mercado que comprova a força e a importância do cartão de marca própria para o segmento supermercadista e também para o poder de compra do consumidor e movimentação da economia.

A administradora ultrapassou a marca de 2,8 milhões de cartões emitidos em todo o território nacional em 2.200 pontos de venda das mais de 190 redes supermercadistas parceiras. Apenas no primeiro semestre, 708 mil novos consumidores preencheram propostas solicitando crédito para suas compras, um aumento de 50% quando comparado ao mesmo período do ano passado. Destas, uma média de 32% foram aprovadas, “uma taxa de aprovação que, devido ao risco de inadimplência crescente no país, teve uma leve queda mais que continua acima da média do país, onde as instituições financeiras tem reduzido cada vez mais suas ofertas de crédito e limites de compra”, explica Tamaki.

Somente neste período, a DMCard injetou no mercado mais de R$ 607 milhões em crédito, sendo R$ 201 milhões apenas em novos cartões emitidos e R$ 406 milhões em crédito concedido por meio de aumento do limite para portadores de cartões já ativos.

Os números são reflexo de um sistema bem estruturado e tempo médio de 5 minutos para uma proposta ser analisada e aprovada, potencializando os resultados do varejista. A maior agilidade foi alcançada graças a migração do atendimento das promotoras que registravam as propostas por um website para um aplicativo em dispositivos móveis, estas já representam 43% das propostas cadastradas.

Crescimento durante a crise

No primeiro trimestre de 2019, o Banco Central registrou encolhimento da economia, com PIB negativo de -0,2%. No mesmo período de janeiro a março, o IBGE também mostra uma queda do consumo nos supermercados de -0,9% e vendas no varejo em geral crescendo apenas 0,3%, em todo o Brasil.

Para uma comparação mais precisa, sendo considerados apenas os três primeiros meses do ano (período consolidado pelo Banco Central e IBGE até o momento) a DMCard teve um crescimento bastante alto para o cenário econômico, um aumento de 28% no valor gasto nos cartões. Uma diferença bastante acentuada que colabora para comprovar o papel do private label na economia atual, como pode ser observado na tabela abaixo.

PIB (Banco Central)– 0,2%
Vendas Supermercados (IBGE)– 0,9%
Varejo em Geral (IBGE)0,3%
DMCard28%

Dados de variação consolidados pelo Banco Central e IBGE do primeiro trimestre em comparação com o mesmo período de 2018 pelas fontes:

Apoio ao supermercadista para enfrentar a concorrência

A DMCard investe constantemente em projetos e novas tecnologias, sempre em busca do incremento das vendas e de potencializar os resultados das redes supermercadistas parceiras. São importantes ferramentas para que enfrentem a concorrência com as gigantes do mercado oferecendo os mesmos benefícios aos seus consumidores.

Além do aplicativo para smartphones e tablets da DMCard, pelo qual os portadores contam com facilidades como consultar suas faturas, limite disponível, melhor dia de compra e realizar alterações cadastrais. E do aplicativo utilizado pelas promotoras para o preenchimento de propostas de forma muito mais ágil, em qualquer lugar da loja sem a necessidade de levar o consumidor até o balcão. Também já é uma realidade o aplicativo de ofertas totalmente customizado com a marca de cada rede.

Trata-se de um aplicativo desenvolvido pela DMCard, contudo, personalizado com a marca e as necessidades de um varejista específico. Ou seja, independente do tamanho e número de lojas, uma rede pode disponibilizar seu aplicativo próprio oferecendo cupons e ofertas de acordo com o perfil individual de cada cliente. Um processo possível graças a uma poderosa ferramenta de CRM que coleta e trabalha de forma inteligente dados de comportamento de compra. Atualmente já existem 19 redes oferecendo a facilidade e outras 19 em fase de desenvolvimento.

Sobre a DMCard

A DMCard é uma administradora de cartões private label que nasceu em 2002, em São José dos Campos, interior de são Paulo. A empresa viabiliza a redes de supermercados a possibilidade de oferecerem aos seus consumidores um cartão de crédito de marca própria que, além de aumentar as vendas, fideliza seus clientes.

Denis César Correia, Diretor Executivo da empresa, explica o sucesso e os diferencias da DMCard: “Somos uma empresa especialista em varejo, por isso podemos atender às necessidades específicas do segmento”.

A DMCard nasceu de uma pequena operação de cartões de fidelidade de uma rede varejista. Hoje, possui uma completa e integrada estrutura de administração e processamento de operações, e atua em diversas regiões do Brasil. A empresa já ultrapassou a marca de 2,8 milhões de cartões emitidos para mais de 190 redes e 2.200 lojas, incluindo Sonda, Cobal, Spani, Semar, Royal, Unissul, Docelar, Joanin, Ricoy, Imec, BH, Koch, Paulistão e Althof.

Além do crédito, a DMCard ainda oferece uma poderosa ferramenta de CRM que coleta informações sobre o hábito de compra dos consumidores, permitindo, assim, a criação de campanhas personalizadas e relevantes para os diferentes perfis de clientes existentes.

Com nota alta em qualidade de serviço, a DMCard é uma das únicas empresas de cartões que possui o selo RA1000, garantindo o compromisso da marca em oferecer o melhor serviço para seus parceiros e clientes.

Continuar Lendo

Esporte

Wallace Negão vibra com luta em Las Vegas: “Vou realizar um sonho”

Fillipe Santos

Publicado

em

Foto: Arquivo Pessoal

Carioca espera que vitória nesta quinta sirva como trampolim para o Glory

Natural do Rio de Janeiro, Wallace Lopes, também conhecido como “Negão”, é um atleta de kickboxing com um cartel extenso na modalidade. Com passagem pelo WGP e diversos eventos pelo país, o lutador de 32 anos está de luta marcada no FFC (Final Fight Championship), onde além de fazer um dos duelos do evento nas regras do kickboxing, irá realizar um sonho de muito tempo:

— Minhas expectativas são as maiores e melhores, por estar realizando um sonho desde que eu comecei a assistir luta (UFC), que era lutar em Las Vegas. Vou realizar um sonho, e com certeza vou trazer essa vitória para o Brasil.

O lutador que será uma das atrações do FFC 39 vai enfrentar o argentino Alan “Superboy” Scheinson no evento que acontece no dia 11 de julho na cidade de Las Vegas, Nevada (EUA). Com mais de 30 vitórias na carreira, o lutador carioca vai enfrentar um atleta com passagem pelo Glory no FFC, porém o fato não desanima o carioca que espera surpreender não o só adversário, como também o público para alçar voos ainda mais altos na carreira.

— Pesquisei algumas lutas dele. Vi que ele é um lutador duro que já passou pelo maior evento de luta em pé do mundo (Glory). Mas isso é mais uma motivação pra eu ir com tudo pra cima dele. Sei que os chefes do Glory estarão vendo essa luta e tenho fé que vão me contratar pra lutar lá.

Apesar de ser um evento de MMA, o FFC vai contar com algumas lutas em outras modalidades, além do duelo de Wallace no kickboxing, o evento ainda vai contar duelos de boxe na edição de número 39. Questionado sobre essa mescla de modalidades em uma mesa edição, Wallace enxergou com bons olhos, já que o público costuma se empolgar com artes marciais que visam apenas a luta em pé:

— Acho uma ótima iniciativa, pois o público gosta de ver boa trocação e gosta de ver sangue. Assim todo mundo ganha, o público e os atletas — finalizou Wallace.

Além de trilhar o seu caminho no Kickboxing, Wallace Negão espera retornar em breve ao cage e dar sequência a sua carreira nas artes marciais mistas, onde ostenta um cartel com 5 vitórias em 9 combates.


Continuar Lendo

+ Lidas da semana